sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Reflexão (29) - Inquisição sem fogueiras


por Jefferson Ramalho

Tudo o que demonstra ser intolerante, representa um perigo. Quando ouço esta palavra, me lembro automaticamente de boa parte da História da igreja cristã, que, sobretudo na Idade Média, se tornou a instituição mais intolerante daquele momento, para não dizer de toda a História.

Hoje, infelizmente, a religião cristã quando fundamentalista, mesmo que teologicamente, não consegue deixar de se demonstrar intolerante com todos aqueles que não pensam como ela. Para ela, todos os que são contrários às suas perspectivas, representam uma ameaça e precisam ser impiedosamente lançados fora.

É o que alguns já teriam chamado de "inquisição sem fogueiras". E só é sem fogueiras, porque não podem queimar estes que eles consideram hereges. Se pudessem, muitos não escapariam de tal condenação. Homens como Rubem Alves, Frei Betto, Caio Fábio, Milton Schwantes, Ricardo Gondim, Leonardo Boff, meu ex-professor dr. Ricardo Quadros Gouvêa, meu ex-professor e amigo dr. Ronaldo Cavalcante e outros tantos cujos nomes não me vêm agora, dificilmente escapariam da fogueira dos inquisidores brasileiros dos nossos dias.

De qualquer maneira, graças a Deus por não existir esta fogueira. Contudo, a repressão, a intolerância, a perseguição, a impiedade, a proibição de que o outro que é diferente de mim possa apenas falar são marcas registradas deste fundamentalismo cristão presente no Brasil.

O pior é que tudo isso é feito em nome de Deus, tudo isso é para defender a sã doutrina, tudo isso é feito supostamente por "amor à Palavra". Como o Mestre, minha oração neste sentido é a única que eu poderia fazer neste momento: "Pai, perdoa-lhes, pois eles não sabem o que fazem".

Quem sou eu para usar as Palavras do Mestre? Ninguém. Apenas alguém que também precisa de misericórdia, de perdão e de Graça. Mas graças a Deus, pois posso dizer que por outro lado, sou alguém que não foi contagiado pelo intolerante fundamentalismo protestante.

na Graça,

Jefferson

2 comentários:

sergio disse...

Li o texto sobre Inquisição sem fogueiras, Nessa segunda dia 21.01.08 foi comemorado o dia da intolerância religiosa.
Soa bem esse titulo e se soubesse que foi por causa de uma mãe de santo que esse dia foi introduzido,continua sendo bonito esse titulo ?
sabemos que ha um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens Jesus Cristo Homem, mas como Deus irá aceitar-nos é com Ele. Se alguem estiver com Ele foi por causa de Cristo seja a religião, o credo, igreja que estiver, so por meio DELE.
Por isso toleremos pois Deus é Amor.

Nana disse...

Boa Noite Jefferson,

Cada religião, com sua própria doutrina, são intolerantes as doutrinas diferentes.
Por exemplo: Aquela que crê na reencarnação, é intolerante
para com aquela, que crê na ressurreição.
Porém, se a doutrina ensina crer na ressurreição, seria intolerante , ter um pregador nesta mesma fé, o qual, orientasse seus seguidores, a crer na reencarnação.
Ele seria desaprovado naquele local, mas, teria uma crença , uma fé onde ele pudesse se expressar livremente como tal.

Grande abraço!