sexta-feira, 25 de março de 2011

Caio Fábio d'Araujo Filho insulta o escritor Rubem Alves e o pastor Ricardo Gondim

por Jefferson Ramalho

Peço licença a alguns para escrever este texto e, inclusive, para citar nomes. Há poucos minutos, através de um vídeo postado no youtube, escutei o que o Caio Fábio, líder fundador do Caminho da Graça falou a respeito de um texto do Ricardo Gondim, pastor da Igreja Betesda, em São Paulo.

Primeiramente, quero deixar claro que não tenho nenhum motivo para assumir uma opinião de defesa ao pastor Ricardo, mesmo porque não tenho quaisquer razões para isso. É um dos poucos pregadores que não falam asneiras aos domingos enquanto estão pregando. Contudo, como meu problema é com a instituição religiosa, prefiro me dar o direito de não ter de ouvir dominicalmente um pregador, mesmo que este seja alguém sério e coerente como o Ricardo parece ser. Pessoalmente, não somos amigos. Falei com ele duas ou três vezes na época em que eu trabalhava na Editora Vida. Aliás, para mim o suficiente. Não sou seu admirador nem seu simpatizante. E assim continuará sendo!

Quanto ao Caio, sempre o admirei e nunca escondi o quanto suas pregações durante anos me fizeram bem. Todavia, a sua arrogância que sempre foi algo que nunca me impediu de admirá-lo e ouvi-lo, agora, depois que tomei conhecimento de suas últimas diretas ao Ricardo Gondim neste vídeo postado no youtube, me causou tamanha revolta e nojo.

Primeiramente, quem é ele para falar do Rubem Alves, insultando-o e chamando-o de bundão? Se o Rubem é bundão, o que Vossa Santidade é? Se tivesses a metade da produção e do reconhecimento que Rubem Alves tem enquanto intelectual e enquanto contribuinte para a literatura e educação do Brasil, poderias falar alguma coisa. Aqueles seus livretinhos de pregação adaptada, para não falar dos plágios, são palha podre perto das obras ricas em filosofia que Rubem Alves escreveu, além das focadas no tema “religião”. Não estou nem considerando aqui as belas produções do Rubem Alves na área da literatura infantil.

Se Rubem Alves quando esteve no Programa do Jô não quis detalhar acerca de suas concepções religiosas dizendo que a fé é coisa do seu passado, qual o problema? Ele não pode deixar de dar importância ao que para ele não tem mais nenhum valor? Antes se apostatar assumidamente da fé e nunca mais se preocupar em falar dela a se tornar um religioso supostamente crítico, mas que nas linhas e entrelinhas de sua retórica barata e ultrapassada não passa de um conservador disfarçado de mente aberta.

Caio Fábio insulta os eventos teológicos dos quais por anos participou. Por que? Porque hoje ninguém mais pagaria pra ouvi-lo, com exceção de suas eternas tietes. Quem tem o mínimo de leituras relevantes em teologia e filosofia sabe o quanto ele delas se apropria sem nunca dar a referência. Oras! Vai me dizer que Deus é quem diretamente a ele se revela? Ou ele seria tão inteligente ao ponto de descobrir sozinho tantos significados? Sua mesma retoricazinha que há muito já perdeu o encanto, apenas consegue fazer com que qualquer conversa mole de sua parte cause arrepios e gemidos em seus adeptos.

O Gondim é bundão? Por que? Qual o seu ganho em insultá-lo? É essa postura estúpida e arrogante que o senhor tem aprendido com Cristo enquanto seguidor dEle ao longo desses quase quarenta anos? És tão perfeito, senhor Caio, que para Vossa Santidade todos são falhos, menos o senhor! Você critica, por exemplo, os neopentecostais como se ninguém soubesse dos equívocos destes. Você descobriu o que ninguém tinha visto, não é? Como se não bastasse, vem encher-nos com suas já saturadas críticas aos comerciantes de Cristo dos nossos dias como Malafaia, Macedo, R.R. Soares, casal Hernandes entre outros, resolve agora soltar seus mísseis de estupidez em alguém que simplesmente crê, sem esconder que tem dúvidas.

E Vossa Santidade, só tem certezas? Que certezas? Deus já apareceu para ti? Vossa Santidade já criticou, além dos neopentecostais como os aqui citados, ao assumidamente pastor e teólogo ortodoxo sr. Augustus Nicodemus Lopes a quem sempre respeitei e admirei como pessoa apesar de não compartilhar em quase nada com as suas ideias. E agora, pra completar seu compêndio, resolve criticar um intelectual nacional e internacionalmente reconhecido como o professor Rubem Alves por tabela, já que suas agressões foram direcionadas diretamente ao Gondim. Quem será o próximo? Quem será o próximo a incomodar a sensibilidade e a inteligência intocável e imensurável de Vossa Santidade?

Se perguntarmos a crianças, adolescentes, jovens, educadores, religiosos, intelectuais de maneira geral: “Você já, pelo menos, ouviu falar em Rubem Alves?” Não tenho dúvidas de que a resposta será positiva partindo da maioria dos interrogados. Agora, se a pergunta for: “Você já, pelo menos, ouviu falar de Caio Fábio?” Tenho certeza, se forem generosos, que responderão perguntando: “Quem?” A maioria não saberá!

Quanto ao buraco em que o Gondim e tantos outros aos quais a Vossa Santidade critica irão se enfiar pouco importa. Aliás, é muito provável que não seja, por exemplo, um “buraco” do tipo em que muitos resolvem se enfiar e depois entram pelo cano. Vossa Santidade fala, por exemplo, de certo desserviço do Gondim à fé. E os seus desserviços à fé, nunca existiram? Ah... Esses, nós temos que esquecer, não é mesmo? Desculpe-me, mas o seu retorno ainda muito imperceptível para além daqueles que te cultuam é insuficiente para que seu moralismo disfarçado possa insultar o próximo. Sua prepotência não se justifica senhor Caio Fábio.

Voltando novamente às suas críticas ao escritor Rubem Alves e comparando-o contigo, eu pergunto mais uma vez: no Brasil, quem conhece Rubem Alves e quem conhece Caio Fábio? Se ele é bundão, o que Vossa Santidade é? Profeta? Messias? Mensageiro de Deus? Só se for um profeta de poucos que se pudessem fariam de tudo para sentir o fedor de seus gazes fecais.

Aliás, é desses que o senhor precisa. Eles te sustentam e te fazem dar continuidade em seu novo empreendimento que de igreja institucional tem todas as características. Vossa Santidade certamente jamais se submeteria a um trabalho, de fato, reproduzindo inclusive o que é bem comum no meio religioso, evangélico ou não. E não me venha dizer que o que fizestes até hoje enquanto líder religioso, inclusive na época de suas fundações que por sua culpa e incompetência se afundaram, possa ser chamado de trabalho. Trabalho é o que eu vi meu pai, por exemplo, praticando ao longo de sua vida, levantando diariamente às 5h para educar seus filhos, sustentar sua família e honrar sua esposa.

Um ano como responsável pela iniciativa do Caminho da Graça em Osasco, e como receptor das mensagens diárias do mailing dos mentores do Caminho – inclusive as escritas pelo próprio Caio – foi-me suficiente para ver que não tem nenhuma diferença entre seu empreendimento e as milhares de igrejinhas que existem por aí: aliás, é até pior! É a mesma tietagem, é a mesma babação, é a mesma cobrança com os mentores porque eu vi isso em muitos e-mails que Vossa Santidade recebia. Além dos que o senhor escrevia para, por exemplo, tentar convencer os mentores do Caminho de que é mais que necessário e importante se tornar assinante da Vem&Vê TV. Ou seja, é o mesmo papo de sempre! "Eu estou com a verdade! Enquanto vocês eram explorados na igreja vocês não reclamavam, agora, que vale a pena investir, vocês não investem”. Que papinho de pastor espertalhão, hein senhor Caio? Como eu recebia esses e-mails na época em que eu trabalhava na Editora Vida, não os tenho mais. Se os tivesse, os citaria aqui, com certeza.

Agora, o que Vossa Santidade diria, caso se desse o trabalho de comentar esse texto? Com certeza, se o fizesse – o que tenho certeza que não o fará, mesmo porque sua condição espiritual e messiância, quase divina, não perderá tempo com isso – diria: esse é um menino, um moleque inexperiente, que não saiu das fraldas, que não sabe o que está falando, que não sabe fazer outra coisa a não ser escrever textinho na internet etc etc etc. Ou seja, o mesmo blá blá blá, enfeitado com aquela arrogante, velha e insuportável retórica de sempre, que nunca muda, que se faz suficiente para sua permanência graças àqueles que se pudessem, como eu já disse, fariam de tudo para cheirar os seus peidos ungidos.

E é exatamente por já ter sido caiofabiano por tanto tempo – puts, que estupidez de minha parte! – é que sei do que estou falando. Há pessoas que se pudessem ......, facilmente o fariam! Ôpa! Que feio! Que baixo nível, não irmãos! Pois é! Se o Caio Fábio acha que impressiona falando “bundão”, ele não sabe as coisas que pensei a seu respeito depois que ouvi suas críticas ao Rubem Alves e ao Ricardo Gondim.

Pra encerrar, quero salientar que não tenho nada contra muitas das propostas do Caminho da Graça, mesmo porque é a que me parece mais apropriada, sobretudo, a que conheço através do meu amigo Carlos Bregantim, em São Paulo. Aliás, este sempre se mostrou um homem simples, próximo, humilde, sem arrogâncias, insultos desnecessários e infantis.

Eu? Nunca fui para Brasília, nunca tive, e agora muito menos teria interesse de gastar meu dinheiro pra ir até lá ouvir o Caio em sua igrejinha com proposta de não-igreja. Aliás, na última vez em que ele esteve em São Paulo já não fiz nenhum esforço para ir ouvi-lo. Não perdi nada! Se for pra ouvir a mesma conversa outra vez e sempre, prefiro ouvir uma boa música, ler um bom livro, tomar uma boa gelada, ficar com minha esposa, com minha família, dedicar meu tempo aos meus estudos de pós-graduação – coisa que Vossa Santidade não sabe o que é, afinal, não precisa, pois é mais que um autodidata; nasceu sabendo! - Enfim, prefiro fazer o que para mim vale a pena, conforme escrevi num texto semanas atrás (cf. Sem igreja, graças a Deus!). E aqui incluo as propostas religiosas de “não igreja” que, na minha opinião, são apenas alternativas supostamente encontradas por pessoas que no fundo, no fundo, não conseguem – ou não podem $$$$$$$$ – viver sem igreja, caso contrário teriam de fazer uma coisa que a maioria não gosta e não sabe o que é: trabalhar.

Agora, prefiro parar para não começar a xingar, rebaixando-me (não elevando-me) ao nível de Vossa Santidade senhor Caio Fábio. E que pensem o que quiserem pensar do que escrevi aqui. Não me preocupei com a estética do texto, com a sincronia das palavras, com nada disso. A propósito, talvez este tenha sido um dos poucos textos com os quais não tive essas preocupações. Simplesmente liguei meu computador e comecei a digitar. Eu escrevi apenas o que estou sentindo depois de ter ouvido toda aquela arrogância típica de quem não tem o que fazer da vida.

sempre na Graça,
Jefferson

Confira se quiser perder pouco mais de 11 min de sua vida como eu perdi.

22 comentários:

Cida Souza disse...

Meu querido Amigo jefferson,eu só posso lamentar o que ouvi do Caio e tb lamento muito o seu texto, assim tanto um qto o outro não nos leva a lugar algum ou seja ficamos onde insistimos em ficar, me perdoi a sinceridade,ainda parecemos crianças brigando quem é o mais inteligente, ou quem sabe o mais espiritualizado.....Eu Os Amo assim mesmo, meu abraço.

Carlos Seino disse...

Também fiquei aborrecido em ouvir a entrevista do Caio. Isto porque, ele partiu totalmente para o "ad hominem", não consegue mais discordar da idéia de alguém, sem arrebentar com a pessoa.

Anônimo disse...

Gostaria apenas de poder citar uma parte do seu livro Síndrome de Lucifer (caio Fabio)

Quinto Sintoma: SUAS PALAVRAS PROMOVEM A ELES MESMOS "A sua boca vive propalando grandes arrogâncias" (verso 16b).
E nesse sentido há muitas maneiras sutis de os dissimuladores propalarem grandes".
Acredito que O Reverendo se explica.
Rodrigo Fonseca

Hugo Lucena Theophilo disse...

De fato é tudo lamentável...inclusive o seu texto que mostra não ser preciso xingar para rabaixar-se.

Anônimo disse...

Muito bom esse texto!
Realmente, quais as contribuições do Caio à posteridade, além das auto glorificações?

Anônimo disse...

Comentários que aqui forem postados criticando ou lamentando o texto, no intuito claro ou camuflado de defender o Caio, só confirmarão que o seu autor não estava tão errado assim ao afirmar a respeito daqueles que pagariam, se necessário e possível, para cheirar os peidos ungidos do criticado. Estes, de fato, existem e estão mais ativos do que nunca, babando como vaquinhas de presépio, esperando um peido do Caio para que possam cheirar.

Hugo Lucena Theophilo disse...

Não é defesa de Caio...não sou de Caio nem de Ricardo. Como disse é tudo lamentável. Tudo mesmo. Lamentável mesmo. No entanto as críticas se igualam ao criticado, e ninguém percebe, afinal que diferença há entre "bundão", "cheira-peido" e "vaquinhas de presépio"???

Anônimo disse...

Prezado,
Percebemos que quase todos os que estão em evidência na mídia evengélica, se tornam farinha do mesmo saco. Temos visto a tentativa do Caio de ter de volta todo o seu prestígio de antes. Jefferson, leio e degusto seus textos, e alias, me fizeram entender e enxergar algo que eu já imaginava e não tinha coragem de assumir. Também leio e ouço o Gondim, mas não pertenço a igreja dele, e no entanto seus textos lembram muito o teor dos textos que vc publica neste blog, principalmente no amor, relacionamentos e vida. Acho que vcs dois tem muita mais coisas em comum do que vc imagina. Percebo que vc não é muito adepto a conselhos e sugestões de outros, mas vale a pena tentar: Tente acompanhar mais de perto o que o Gondim tem falado aos domingos, o tipo de comunidade cristã que ele sugere e outras idéias que ele tem pregado. Faça isso sem compromisso. Acho que vc terá boa surpresas.
Parabéns pela coragem no que vc tem escrito.
Espero que este texto chegue ao Caio Fabio e seus seguidores.

Abraço
Robson
São Bernardo do Campo

Anônimo disse...

É, o Hugo tem razão quando fala que é lamentável a situação. Afinal, eu acho que somos todos cristãos SALVOS. Inclusive o Caio. E ele esboça algo sobre isso no vídeo. Sobre salvação.
Enfim, o Caio errou! Mas erraremos muito mais se fizermos disso motivo para nos odiarmos.
Temos é que nos aperfeiçoar em amor.
A melhor postura em tudo isso é a de quem não fala nada.
Que possamos extrair o que há de melhor do Caio , do Gondim e do Rubem Alves.

Jefferson Ramalho disse...

O problema ANÔNIMO, é que para o Caio só se pode extrair de bom daquilo que ele fala. Sua arrogância e prepotência passaram todos os limites. Ele, de tempo em tempo, se torna cada vez mais insuportável. Só suas tietes não conseguem ver isso. Se diante de seu erro o correto seria o nosso silêncio, ou seja, ninguém falar nada, ele deveria ter dado esse exemplo e não ter dito nada a respeito do Rubem, do Gondim. O Rubem, em especial, está muuuuuuuuuuuuito à frente do Caio. Além disso, por muitos anos, o Rubem tem usado a sua intelectualidade não somente para falar em palestras, mas para lecionar como professor que é, em Universidades. Duvido que o sr. Caio Fábio teria coragem de um dia pegar sua pastinha, seus livros, e trabalhar como professor em uma universidade. Você acha que ele vai deixar sua vidinha confortável de ídolo, de pastor que não é pastor - sei lá o que é - de pregador dono da razão e da verdade, de principal pregador do evangelho que esse país já teve...blá blá blá! Por que ele não vai trabalhar? Porque tá cheio de caiofabiozinhos que o sustentam, que o seguem, que trabalham pra ele, pra recuperar e manter a imagem dele e que o idolatram do mesmo modo que acontece com os Hernandes, o Macedo, o Valdemiro, o Soares...enfim, basta olhar com o mínimo olhar sociológico possível para concluir: é tudo a mesma coisa! Tenho mais o que fazer do que gastar meu tempo precioso ouvindo um desses caras no domingo! Foi-se esse tempo da minha vida!

www.publicitariovirtual.com.br disse...

Fala meu mano...
Não conheço o Caio pessoalmente, mas acompanhei-o por um bom tempo lendo-o e ouvindo pelo site.
Como pensador religioso ele tem um grande diferencial que é pensar fora da caixa religiosa estando dentro da religião. Sendo assim num meio onde a maioria é tapado, é claro, ele se sobressai!
Sou grato ao Caio por ter servido de ponte nessa minha transição. Sou grato mesmo. Sem ele e o C.S.Lewis não sei se teria conseguido sair dessa DOENÇA, dado o grau de entorpecimento religioso no qual me encontrava.
Hoje em dia, não o ouço mais, não tenho animo muito menos paciência... quanto aos outros como Godim, Kivitz, Ariovaldo, etc... piorô.... não ouço mesmo...
Mesmo sendo o “melhor que há” no meio “cristão-protestante” ainda permeia os piores motivos, e de tempos em tempos se vendem para não perder sua fonte de renda...
No caso do Caio a moeda dele é a sensação de se sentir um Che-Guevara, um Spartacus, e porque não um Salvador dos oprimidos pela religião.
A prova é, contrarie-o para ver o que acontece. Ele diz que des-ossa você...
Sendo assim eu concluo:
É fato, q a indústria religiosa sempre se vende $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$, sendo assim realmente são um bando de bundões, que não assumem o q são ou pensam pelo simples fato de q isso tiraria deles sua fonte de renda!
É fato, q não acompanho nem conheço a obra dos nomes citados no video!
É fato, Caio Fabio é arrogante, sempre soube disso msm qdo o ouvia!
E tbm é fato q não tenho mais nada a dizer sobre o assunto.

Abraços

@ErikLVicente

Moyses disse...

auhauhahuahauh boa erik!! che guevara foi boa!!! parece q ele quer "endurecer, sem perder a ternura" não? rsrss
só tenho a lamentar o fato.. lamentar as palavras dele.. nao só as palavras dele contra o ricardo, mas lamento essa postura de "guerrilha cubana" q tem adotado...

Jefferson Ramalho disse...

E eu faço questão de complementar, meus amigos Erik, Moyses e todos os demais: Caio Fábio vai ter que comer muita farinha ainda pra chegar aos pés de Che Guevara!
Jefferson

marcos cuiaba disse...

Nao vamos esquecer da essencia dos seguidores de CRISTO: O Amor e o Perdao, se possivel vamos ter PAZ com todos...
Um Abracao ao Jefferson, entro todos os dias no SITE.
Marcos Campos/Cuiaba

fabio.fino disse...

Cáio Fábio pirou de vez!!
O problema não é concordar ou discordar de alguém, o problema todo é a falta de respeito!

Principalmente qdo ela é gratuita! Ai não há verdade ou mentira que sustente. Com isso vão se junto para o brejo toda a moral e história de uma pessoa.

Uma pena!

kojak disse...

fala ae professor.
esse "CAIU FEBRIL" perdeu toda a minha credibilidade,apeser de ter nexo o que ele já escreveu e pregou,no entanto essa crítica RASA e sem fundamento,só evidencia que é intolerável e não sabe aceitar e conviver com as diferenças alheias.
só ele éo dono da verdade,vai saber, que como vc perguntou pra ele, será que Deus de repente não apareceu pra ele? e lhe revelou o "PROFUNDO E O ESCONDIDO "?
esse "zé" não sabe o que diz,pois afirma junto com 99,9% dos crentes,( que eles "os crentes" em parte não tem culpa,pois lhes ensinaram assim,e tem preguiça de pensar)mas um ser tão divinamente usado,um auto-didata, que diferente da raça humana,já nasceu sabendo,as coisas celestiais que,não veio como ITEM DE FÁBRICA, em seu nascimento,Deus vem e lhe revela pessoalmente. pois é o que parece,pois em seus livros não cita fonte nenhuma.
mas deixa eu dizer o que acho : ELE É UM PLAGIADOR INESCRUPULOSO que afirma que foi Deus realmente que puniu o japão por causa de sua incredulidade.
fala sério,me causa revolta ,pois qualquer um com o mínimo de conhecimento,acerca do caráter de Deus,sabe que é impossível que Deus vá agir de forma tão covarde e cruel. será que esse Deus é menor do que qualquer um mortal,que prega que devemos dar tempo para o ímpio de arrepender?
vou parar por aqui,pois já estou ficando nervoso com aquele cara.

Anônimo disse...

Bom, realmente é nojento ver um homem do calibre de Caio Fábio falar dessa forma com tanta amargura e arrogância, mesmo que tenha dito algumas verdades. Ao mesmo tempo é chocante ver as exclamações do deísmo de Goldim, questionando a soberania de Deus, e ver um homem tão inteligente como Rubem Alves que contribui tanto com suas maravilhosas literaturas tanto no meio teológico como secular, perder suas convicções teologicas e sua fé, por conta da sua intelectualidade...sou inteiramente a favor do intelectualismo cristão, acho que realmente temos que ter uma fé equilibrada estudarmos e estudarmos e estarmos abertos a discussões, independente de correntes teológicas ou confecionalidade, e livrarmo-nos do fundamentalismo, e porque não dizer termos uma fé racional e não fideísta e inocente. Mas perder nossa fé, na ÚNICA verdade, que é Cristo, é lamentavel, é triste, se minha teologia for me levar só para os rincões acadêmicos das sábias discussões e não contribuir em nada para o Reino, à Igreja e à irmandade que não esta muito preocupada com toda essas questões, até porque o evagelho é muito simples...muito obrigado!! prefiro ser um teolÓgo devocional numa escola dominical, a achar que só podemos ouvir um pregador se ele ostentar um curículo igual do nosso amigo Jeferson porque se não é insurportavel de ouvir-lo,é demais!! é um absurdo!!quero continuar indo para a igreja adorar a Deus para adora-lo aos Doningos aos Sábados ou quando der independente de quem vai pregar, meu culto é pra Ele... cuidado para não perder a simplicidade que é peculiar daquele que diz servir a Jesus, pois ele pode falar através do um pescador como Pedro e um erudito como Paulo. E lembrem-se! as almas estão se perdendo precisamos trabalhar para o Reino as outras questões são secundarias.Nossa teologia pode que servir para o mundo acadÊmico, mas acima de tudo é para o amadurecimento da nossa fé, da nossa relação pessoal com Jesus, do nosso convivio no meio social como cristãos, e principalmente à orientação da a igreja de Jesus. Deus a bençoe a todos.

Giovane Villela disse...

Boa tarde!!
Meu camarada Jefferson, tenho falado a alguns amigos que estão no "caminho" que o "caminho" é uma forma disfaçada de IRUD e cia.
O proprio Caio deixa isso claro com todo o formato que vem fazendo em torno do "caminho". Todas as convenções, as formas dos seus seguidores.
Só mané pra não ver que o "caminho da graça" percorre pela mesma via do Macedo, RR, Silas e outros, afinal eles sempre foram do mesmo clube só que agora o Caio se tornou o grande descobridor daquilo que todos nós sempre soube. É mole!! Não dá pra acreditar que tem idiotas para seguir um comedor de secretária metido a Apóstolo Paulo...rsrs
É lemantável ver um menino bom como o Marcelo Quintela se tornar uma marionete nas mãos habéis do Caio - é triste mesmo!!

Na mesma fé,
Giovane

Contabilidade disse...

Rapaz.

Do Rubem Alves eu não posso dizer nada, mas do Ricardo Gondim eu só posso lamentar por ele e concordar com o Caio (tirando o bundão, claro).

Para quem acha que o Caio exagerou no que disse a respeito dele (Gondim) acesse o site: http://www.monergismo.com/textos/sofrimento/tsunami_gondim_eros.htm

Conexão da Graça disse...

Putz meu! Cheguei com alguns meses de atraso nesse comentário mas quero participar também.

A respeito do que escreveu sobre o Caio, concordo contigo.Lamentavelmente ele foi infeliz no que disse para não dizer grosseiro.

Escrevi um texto no meu blog falando a respeito do Caio também, e creio que tentei passar uma imagem dele colocando-o no lugar devido: um mero mortal como outro qualquer, sujeito a erros e acertos.

Quanto a crítica que ele fez ao Rubens Alves e ao Gondim, também discordo totalmente do que ele disse, pois admiro os dois nas suas respectivas areas.

O Rubem é um gênio com uma rica contribuição para a nossa cultura, e o Gondim um cara sincero que não tem medo de se despir ainda que isso lhe custe a reputação, um dos melhores pensadores cristãos do nosso contexto pela coragem de quebrar paradigmas.

Procuro não alimentar meu blog com muita ênfase nos textos do Caio, e se fizer uma pesquisa por lá vai perceber que são poucos os escritos dele que publico.

Admiro ele igualmente pela capacidade de reflexão, mas isso não lhe dá o direito de tratar os outros nesses termos.É uma pena.

Cara vc fala do Brega no seu texto. Sou mentor de uma estação em Várzea Paulista próximo a Jundiaí, e já tive contato com ele várias vezes dentro e fora das ambiências religiosas. Um cara sensacional como pessoa e como líder também. Coração de pastor, super humano e equilibrado.

Também nunca fui para Brasília ou participei de encontros que não fossem na estação do Brega, mas ainda assim reconheço o valor do Caio, mesmo ele sendo doido do jeito que é, pois continua sendo voz profética em meio ao caos religioso em que vivemos.

Apesar de ter muita gente boa no caminho, sei que existe uma grande caiolatria, e isso é deplorável também. Gente que saiu de um sistema onde absorvia sem reflexão o que lhe diziam e que agora só mudaram geograficamente de religião, mas não de consciência.

Procuro desenvolver minha própria consciência do Evangelho, analiso o Caio, o Gondim, o Ed René, o Ari entre outros, mas não assino cegamente em baixo de tudo o que dizem, retenho aquilo que converge com minhas convicções e com a ética.

Sou um simpatizante do movimento de igreja nos lares, mas creio que também não podemos ser demasiadamente radicais com esse sistema. A proposta é boa quando existe equilíbrio.

Mas me diga aí se não for muita petulância da minha parte e com todo respeito: onde vc se encontra agora em termos de espiritualidade?

Bom é isso cara. Fiz uma colcha de retalhos no meu comentário mas disse tudo que me veio a mente.

Velho, sou nascido e morei em Osasco, e gostaria de ter a oportunidade de conhecê-lo quando estiver por aí. Será uma alegria.

Até mais e um abraço.

Franklin

Anônimo disse...

Não defendo o caio, porque ele defende a salvação do chico xavier.
Não defendo o gondim, poque ele defende o homossexualislmo.
Não defendo o rubem alves, porque ele mete o pau nos professores deste país que lutam tanto e o salário: ó! E também se apostatou da fé.
Continuo defendendo o evangelho e os bons evangelistas que são muito poucos neste final dos tempos.
Que Deus abençoe a todos.

Patrícia disse...

Não vou perder meu tempo ouvindo o "Reverendo" porque não consigo nem ouvir sua voz.
Continua dentro do sistema religioso e prá mim, é um contra-censo continuar ouvindo quem dentro está dessas instituições.
É um idolatrado e nutre isso em seus fãs.
Defende o Obama, a madre Teresa de Calcutá, elogia o papa "bonzinho" e agora está orientando para votar na Marina...