sábado, 22 de janeiro de 2011

Reflexão (74) - Sem igreja, graças a Deus!


por Jefferson Ramalho

Entendi o que significa ser cristão no dia que resolvi não frequentar mais assiduamente nenhuma igreja. Respeito quem faz tal opção, mesmo porque já fui um deles. Mas quis a Vida que eu, talvez precocemente, percebesse que esta vida não é para mim.

Igreja, culto, reunião, comunidade, grupo alternativo, congregação... Estou cheio de tudo isso. Quando me convidam pra “pregar” ou ministrar alguma aula de teologia ou história da igreja vou com prazer, alegria e gratidão, e procuro fazer o melhor que posso. Mas, por favor, não me chame para fazer parte, nem me venha com aquela conversinha de que lá aonde você vai a coisa é diferente, o pregador é atualizado, moderninho, prega como se estivesse conversando informalmente, traz uma palavra bem diferente daquela tradicional. Não, por favor, mil vezes não!

É engraçado quando alguém me convida pra pregar ou lecionar! O fulano não resiste a tentação e faz aquela "bendita" pergunta: __de que igreja você é? Na hora, só pra deixá-lo feliz, eu dou uma resposta. Digo: __sou da igreja tal. Ou então respondo: __frequento, quando possível, o grupo tal. Mas hoje tomei uma decisão! Quando me fizerem tal pergunta, responderei pura e simplesmente a verdade: __não sou de lugar algum!

Aliás, farei questão de complementar: “__não faço parte de nenhuma igreja, comunidade, grupo ou o que quer que seja, porque entendo que ser cristão – que é o que eu sou – corresponde a não pertencer a nenhuma instituição religiosa."

Para mim, quem faz parte de uma igreja, paróquia, comunidade, grupo, encontro... não é mais ou menos cristão do que eu por causa disso.

Pra que serve a instituição religiosa? Pra várias coisas, dentre as quais:

- para sustentar seu líder, bispo, mentor, pastor, apóstolo, padre... pelo simples fato dele ter achado que Deus lhe escolheu para aquilo – há exceções, raras, mas há, pois há pastores que trabalham para colocar dinheiro dentro de casa;

- para fazer com que pessoas que conseguem reduzir sua vida com Cristo àquilo tudo, continuem praticando sua fé;

- para se afirmar como aquela que conseguiu encontrar o verdadeiro significado do Evangelho mais que qualquer outra instituição autodenominada cristã;

- para alimentar as esperanças e a fé de pessoas que ainda não perceberam que ser cristão significa ter comunhão sem ter de fazer parte de uma empresa com CNPJ, com nome fantasia de igreja;

- para manter aquela equivocada ideia de que Ceia se reduz a um ritual com um pedacinho de pão e a dois dedos de vinho – quando não é suco de uva. Ainda tem gente, inclusive, que briga por causa dessa bobagem – sendo que Ceia, de fato, era um grande banquete, mas que se tornou ritual quando não era interessante que os pobres participassem do banquete;

- para arrogantemente dizer ao ser humano o que ele pode ou não pode fazer;

- para ser, quando metida a liberalzinha, o refúgio daqueles que não mais se enquadraram num contexto muito conservador e moralista.

Cansei disso! Aos domingos à tarde quero ficar com minha família, quero ver futebol, quero ir ao cinema, quero ler um bom livro – com certeza muito melhor do que ter de me sacrificar ouvindo estes sermões deprimentes pregados por pastores tão exclusivistas e despreparados como os dos nossos dias –, quero ouvir uma música que eu goste, quero beber uma cerveja bem gelada, quero dormir e descansar suficientemente porque tenho de trabalhar na segunda-feira, quero amar minha esposa – entenda o que quiser com a palavra “amar” –, quero ir ao parque, quero ir à sorveteria, quero ouvir e contar piadas, quero fazer qualquer coisa que me seja saudável que não seja sentar a bunda numa cadeira de igreja para seguir aquele mesmíssimo ritual: cantar uns 40 minutos, colocar uma grana no envelopinho, ouvir os avisos – no meio ou no final – e ouvir uma “pregação” com a ilusão de que quem está falando por meio daquele sujeito é o Deus Criador dos Céus e da Terra.

Para mim, ser cristão é ser sem igreja, sem comunidade, sem paróquia, sem grupos, sem reuniões religiosas – ainda que com cara de grupo de cristãos desinstitucionalizados... Eu cansei dessa papagaiada! Há alguns que eu amo que ainda se encontram nessa vida de dependência, são meus amigos e sempre serão, e que se sentem bem – ainda que iludidos, na minha opinião – por deixarem de fazer tantas coisas boas que o Eterno deixou para fazermos, e preferem ir a um lugar no qual eles acreditam que Ele esteja falando com eles.

Gente! Ser cristão sem igreja, isso sim é ter liberdade em Cristo! É ter compromisso com o próximo sem ter de levantar bandeira religiosa alguma. Aliás, é entender que ser cristão não significa estar levantando uma bandeira da verdade, mas é apenas ter optado por uma dentre tantas bandeiras que se levantadas do modo certo, conseguem praticar o mesmo bem a todo e qualquer ser humano.

Para mim, se Jesus não tiver existido, a vida perde o sentido, contudo, para outros a existência histórica de Jesus não faz a menor diferença. Tal pessoa não é menos feliz que eu por causa disso. Aliás, ela até pode ter encontrado o real sentido da vida antes de mim, mesmo que nunca venha conhecer a mensagem de Jesus.

Portanto, se alguém me perguntar a partir de hoje: __Você é cristão? Eu responderei: __sim! E se então perguntar: Então de qual igreja você é? Eu responderei: __Graças a Deus, de nenhuma!

na Graça,
Jefferson

17 comentários:

Anne Sperancini disse...

Amigo meu,amigo do meu coração, mesmo tão distante... Me vi nesse seu texto, e concordo com tudo o que você diz... Hoje sou eu e meu Deus, sem denominações, sem bandeiras, sem podas à minha felicidade. Deus nos quer felizes, sem amarras. Ele mesmo não nos amarra, nos ama livres... Adorei seu texto.Minha mãe pediu até pra imprimir pra ela, rsrsrs. Saudades de você... Quando vier a Natal novamente, nos procure... Abraço.

Anônimo disse...

A paz Jefferson, a tempos não conversamos mas pode ter certeza admiro muito você.
Li seu desabafo em parte concordo, eu mesmo por este dias me injuriei de nossas reuniões dos rituais em tem hora cansa, porem o que me faz acreditar na instituição e saber que foi em uma dela que tudo começou em minha vida e na sua também...
E também penso se não houver mais a igreja ou a instituição se todos os cristão viver a sua vida, os seus prazeres e deleites pode ter certeza em pouco tempo não existiria mais cristão pois o papel desta igreja e ajudar os bebê.
Eu, você poderíamos ate sobreviver
sem congregar mais os novo convertidos precisam de leite...
E quem daria leite a estes cristãos, os que estão mais interessado na sua vida do que a do próximo... acho que não...
Jefferson saiba você é muito util para a igreja ou instituição, talvez você está frustrado, decepcionado, chateado, revoltado com a situação da igreja, saiba o Senhor vai tratar sua noiva ele vai adorna-lá...
enquanto isso prossigamos, e não deixemos de ver de onde saímos e onde estamos... Desculpe por escrever isso mas a igreja com todos os seu problemas ela ainda é linda eu tenho Duas filhas eu sei como é importante elas terem uma referencia de familia por que sei que um dia elas terão a sua própria.entende isto... te amo em cristão e te admiro mas precisamos congregar...ter familia... ainda que a minha familia não seja a mais perfeita... pr Edson

Erik disse...

Fala Jeff,

Agora sim botou pra fu#$%, kkk...

Que toda bandeira seja queimada, e que tudo aquilo que despersonifica o SER seja lançado no fogo que nunca se apaga.

A religião é uma das piores pragas que conheço, a Cristã então é a maior decadência na história da humanidade!

Não, não é anarquismo não. É luta por sobrevivência, luta pela vida!

E quem ainda pensa que culto-templo-domingo-igreja ainda faz algum sentido (se é q um dia fez)com certeza ainda não entendeu a Mensagem essencial de Jesus de Nazaré.

Que a Vida seja o Culto e que o dia de Hoje seja o Templo!

Esse sim, o único formato indispensável!

Grande abraço meu amigo.

Erik
@ErikLVicente

£eandro disse...

Interessante o ponto de vista.. (Lia matéria no site do Pava) Confesso que compartilho a mesma idéia. Gostaria da saber sua opinião no que diz respeito a separar a décima parte dos teus ganhos. O bom e velho dízimo que muito pastor charlatão por aí utiliza enganando o povo com a tal teoria da prosperidade.
Como você encara isso?
Parabéns pelo texto.
Abraço

Anderson Faria disse...

Jefferson,

Li originalmente seu texto através do PavaBlog (Sérgio Pavarini), e achei fantástico e incisivo. Abaixo segue o comentário que escrevi no blog:

"SE eu pudesse falar um palavrão (não que eu não o possa, mas que o não faça por não ser necessário) diria um mas acompanhado da exclamação: "EU NÃO ESTOU LOUCO POR PENSAR ASSIM". SE o próprio Jesus Cristo, com as suas Boas-Novas, trouxe algo totalmente diferente da religião até então pregada entre os judeus, pq seríamos diferentes ou ...radicais por entender que o conceito de igreja hoje em dia não mais preenche o significado de ser cristão !? Somente os despreparados ou temerosos em enfrentar o bicho-papão da realidade e medrosos que não entenderem que Cristianismo é apanhar da vida e dar a outra face pra bater, vão pensar que este pensamento é herege e apóstata. Um dia fora da "igreja" (não da "ecclesia", esta sim a verdadeira igreja de Cristo), segundo estes, seria o fim de tudo. Mas é fora das quatro paredes que realmente vivemos o Cristianismo, e não num dia de culto."

Pergunto-me: se Jesus foi considerado um pária entre os seus por questionar e discutir os rumos que a religião oficial estava levando (a um ritualismo desnecessário e frio que mais atrelava pesos que libertava), por que conosco não seria diferente ao pensarmos em renovação do que é considerado hoje um modelo de vida cristã adequada (ir à igreja, dar o dízimo, cantar louvores sem nexo, dar aquele sorriso amarelado ao irmão que está ao seu lado, fingindo que está tudo mil maravilhas)? Com um texto assim livro-me de um peso por não ser o único a pensar dessa forma e a desejar que a ideia do que é verdadeiramente uma comunidade cristã - uma "ecclesia" - volte a existir.

CONVICTOS OU ALIENADOS? disse...

Muito bom. Já estou seguindo o seu blogue. Não se esqueça de passar lá no meu.

Abraços.

Anônimo disse...

Não é por causa do erro de alguns ou de denominações que distorcem o senso da comunhão que podemos criar nossas próprias "doutrinas". Será apenas mais uma igreja a ser criada, talvez a "Igreja dos sem igreja".

Se é tão revoltado com o sistema, então não colabore com ele ensinando nos cursos de teologia que elas oferecem, e se recuse a receber pagamentos por fazê-los.

São por posturas como essa que cria-se o evangelho do Relativo, onde está cada vez mais comum ver casal de namorado indo viajar sozinho na maior, em pré lua de mel... é festa de casamento parecendo balada do pior nivel.... é gente ficando até mesmo suportada por palestras que ouve em cultos... é pastor que é conhecido por ser fã de cerveja...

E o amor por Deus? E a ajuda ao necessitado? E o "cordão de 3 dobras"? É tudo babaquice, né!

Triste ver a bagunça que está se formando em nossos dias... triste!

Adriano Couto disse...

Tirou as palavras da minha boca, faço de suas palavras, minhas palavras! ótimo texto!Vou seguir o seu blog e por na minha lista de favoritos. abraços.

P.S: Inclusive reproduzi seu texto com os devidos creditos em um dos meus blogs que de tanto que gostei, visite-os e os siga se quiser:

Veritas et Judicio
http://www.veritasetjudicio.blogspot.com

Opinião & Cia
http://wwww.opiniocia.blogspot.com

deuseamenina disse...

Chega de rótulos, regulamentos e legalidades. Realmente, frequentar uma comunidade de religiosos (é assim que eu resumo igrejas e seus similares) não é ter liberdade em Cristo. Ser cristão biblicamente contraria todas as práticas que as comunidades de religiosos tem adotado nos nossos dias. Já faz anos que me libertei. Te li no Tiago Mendanha, que te leu no Pava. Fica na paz!

Bia - Deus e a Menina

Lucilene Soares disse...

Compartilho da mesma idéia[2]!

*frenquento quando possível...(grupo).

Abração, Jeff!

Derland disse...

Parabens pelo seu blog, ele e exelente e o texto e otimo, eu tambem tenho um blog com o assunto parecido, se quiser dar uma olhada o link ta logo a baixo: http://derlandreflexivo.blogspot.com/

Tati disse...

Gostei do seu Blog!
Parabéns!
O que vc escreveu é pura verdade...meu marido tb tem um blog e escreveu sobre o Crente e o Cristão.
Leia: http://www.marcellog.com/
vá nas postagem de SEGUNDA-FEIRA, 3 DE DEZEMBRO DE 2007 lá esta tudo escrito.

Anônimo disse...

vamos ver, a raiz do cristianismo nos leva a compreender que desde os primordios da fé cristã que os cristãos sob o efeito da perseguição romana e judaica se reuniam nas catacumbas para o culto , a veneraçao dos santos martires, como nos revela são paulo que no primeiro dia da semana , ou seja domingo os cristãos se reuniam para fração do pão, as orações . bom se o autor é cristão realmente como disse, talvez ele acredite que a salvação seja individual e não coletiva, a eucaristia só pode ser celebrada em comunidade, afinal não somos uma ilha, e sim em comum unidade, como o proprio nome ja diz, a grande questão é saber historicamente qual igreja é provinda da verdade que é cristo, e segundo inacio de antioquia que viveu e morreu como martir no século primeiro é a igreja católica apostolica romana. reflitam sobre isto...

Anônimo disse...

só para complementar o texto supracitado, gostaria de saber, já que o autor jefferson é professor de historia da igreja, como disse, consegue conceber uma cristão que não participa de uma comunidade chamada igreja, e que isso não importa, e que provavelmente a eucaristia não faz nenhum sentido, creio que ele não entendeu bem o que são paulo diz que a "letra mata , mas o espirito vivifica", o autor só escolheu a letra e se esqueceu do espírito cristão.

Valdiney Costa Alves disse...

Tendo em vista que temos uma educação católica desde a formação do Brasil, a ideia de templo, ficou empregnada na consciência brasileira. Temos interesses de grupos para manter suas regalias,luxos e uma menoria bem intencionada. Porem nas raízes do ensino cristão temos um Jesus livre da consciência cativa da religião, sua preocupação era a conduta, a maneira certa de viver. Vamos levantar a bandeira do amor.

Anônimo disse...

KKKKKK! É SÓ ISSO QUE ME PERMITE VC!

Anônimo disse...

Por causa de religiao meu relacionamento com uma evangelica assidua acabou, ela vive nesta prisao de rituais e pastores pilantra, eu nao a culpo poia nasceu nesta fe, sempre hei de ama-la