quarta-feira, 10 de agosto de 2011

E as crianças, como ficam?

Amigos e amigas, preocupados com a educação cristã das crianças, me escrevem sempre que posto um texto anti-igreja. É o caso, por exemplo, do meu amigo Robson, de São Bernardo do Campo.

Robson, meu amigo, permita-me transcrever seu comentário:

"É muito complicado sua forma de fé porque muitos de nós ainda precisamos da igreja para manter a fé. A questão é também fé em que de fato a igreja prega e no que vc acredita. Lhe pergunto: Vc, pelo que percebo, teve muitas experiências na igreja, mas agora teve capacidade de enxergar além das paredes doutrinárias. Como será a educação religiosa, a linha teológica, a forma, que vc dará no ensinamento dos teus filhos, quando vierem. Pois percebo que eles não terão escola dominical e nem amiguinhos da igreja. ( Claro que amigos e familias de igreja cristã geram mais confiança aos pais ). Vivo esta situação, pois concordo com vc. Ouço muita coisa nos púlpitos que sei que não passam de ¨papagaidas¨, porém penso nas crianças....."

Pois é, amigo... Isso é complexo! Não sei como farei quando meu filho chegar. Acredito em Jesus Cristo como Salvador da minha alma e espero que meu filho creia assim também. Contudo, respeitarei se ele, quando tiver consciência, optar pelo budismo, pelo espiritismo, pelo islamismo, pela umbanda, pelo candomblé, pelo catolicismo, por uma igreja evangélica ou, até mesmo, se ele optar pelo ateísmo. Será meu filho do mesmo jeito.

Antes, porém, pretendo tentar educá-lo transmitindo a ele valores humanos - religiosos ou não - e, enquanto valores religiosos, com base cristã, mas sem a obrigatoriedade da igreja. Boas amizades também existem fora desse ambiente que se gaba de perfeito e santo. Semelhantemente, nas igrejas, está cheio de gente podre. Prefiro boas amizades descrentes a más amizades evangélicas para o meu filho, um dia.

Tudo o que eu não quero é que um dia um filho meu venha passar pelas mesmas experiências ruins que passei enquanto frequentei igrejas evangélicas. Deus tem o melhor para o meu filho, e a liberdade saudável será uma delas. Acredito nisso!

na Graça,
Jefferson

3 comentários:

Música, Ciência e Teologia disse...

Jeff, o que não compreendo é que a Igreja - eu e você e o local onde nos reunimos - foi uma instituição que Jesus estabeleceu para seus seguidores.

Pastores e bispos foram constituídos por Deus para benção do Seu povo.

Por que as decepções, os erros e os fracassos das pessoas deve fazer com que não se acredite mais na Igreja?

Até mais, Marcos.

Jefferson Ramalho disse...

Marcos, querido amigo!
Não entendo que Jesus tenha estabelecido instituição alguma. Muito do que Ele disse, colocaram em sua boca. O fato é que ele nasceu, viveu e morreu judeu.
Da mesma forma, acreditar que pastores e bispos são constituídos por ele, é muita ingenuidade - por favor, digo isso, com todo carinho e respeito que tenho or vc, meu amigo.
Mais do que por decepções, erros e fracassos, não acredito mais na igreja porque acredito com toda a minha ingênua fé e devoção que ela não tem nada a ver com Jesus e com o Evangelho.
Abraços,
Jeff

Robson - SBC disse...

Obrigado pela resposta Jefferson.

Por volte logo a postar no eu blog. É meio frustante abrirmos e não ter nada novo...

Abraço e boa sorte na dissertação

Robson